28/11/2008

Necessidade de escrever...



Não sei o porquê, mas quando me encontro numa situação menos boa, quando o coração se sente um pouco melancólico necessito de escrever, de ler textos que puxem por mim, que me levem a pensar mais que o próprio significado das palavras, procuro ir mais além…

Continuo a não saber a necessidade de escrever, talvez para me perceber e perceber o que me rodeia, talvez para me manter ocupada, talvez para me dar a ouvir, talvez…

Não escrevo bonito, nem leio bem, não toco corações com palavras, nem mais ou menos nem tão pouco… não escrevo bonito, então porquê escrevo? Porque sou sem querer o que sou por ser, não escrevo bonito, simplesmente escrevo.

Pareço confusa? Talvez…

Talvez dentro de mim vive uma grande confusão ou talvez nem vive…
Talvez eu crie a confusão dentro de mim ou talvez nem crie…


Ouvi dizer que a vida era simples e nós é que a complicamos, nós é que a tornamos confusa. Será verdade? Talvez…

Mas não há “desconfusão” sem confusão, e não há confusão sem “desconfusão”, eu continuo a gostar de escrever confuso, agora lê e treina a tua “desconfusão”.


Confuso ou “desconfuso”?


Não te preocupes se nada fizer sentido, e nem tentes entender, porque é na confusão que habita a “desconfusao”, se assim é para quê complicar? Simplesmente Vive!




PS: de tal confusão que escrevi sinto-me agora “desconfusa”, porque simplesmente senti vontade de escrever e não havia nada para se perceber.
Simplesmente vivi pelo simples prazer de querer escrever.
ass: ná

25/11/2008

don't listen... just feel

Poderia dizer que amo e odiar
Poderia dizer que odeio e amar
Poderia dizer que sim sendo não
Poderia dizer que não sendo sim
Poderia dizer que é verdade sendo mentira
Poderia dizer que é mentira sendo verdade
Poderia…
Poderia…


Mas eu não me reduzo a palavras, do que poderia ou não dizer, do que poderia ou não fazer…
Não são as palavras que fazem cada um de nós, mas somos cada um de nós pelo que sentimos!

É sentir e dando a sentir que nos conhecemos e conhecemos o outro…

Não oiças o que eu digo mas ouve o que eu sinto!

Em cada palavra que eu disser não as procures no dicionário, procura-as dentro de mim e dentro de ti!

Por isso não captes as palavras como as digo, capta a forma como são ditas e saberás as respostas…


ass: ná



24/11/2008

1|post




video

(lol um bocado estupido eu sei. musica do video: Enigma - Incognito)

O primeiro post é como a primeira vez o que custa é o começar, depois é sempre andar lol.

Não liguem ao que acabei de escrever, porque foi um momento de parvoíce, de não saber como começar, nem o que dizer... Bem, mas então começando e espero continuar a postar apenas digo que leiam o blog, comentem, critiquem, expressem a vossa opinião, sintam-se em casa!



PS.: não garanto que saia algo de jeito deste blog, e se não ficar por este primeiro post já não é mau lol.


ass: ná